Desmascarando o Coelho

Posted: 01/04/2010 in Opinião, Pois é...

UM POUCO SOBRE A FALSA PÁSCOA

1 – ORIGEM DA PÁSCOA ATUAL

Sabemos que atualmente a “Páscoa” sofre alterações a cada ano. “A presente variação de tempo foi estabelecida pelo Romanismo primitivo misturado com um festival pagão muito antigo da primavera para a deusa da primavera. Esta data foi fixada no domingo imediatamente após o 14º dia da lua pascal que aconteceu sobre ou primeiramente após o equinócio vernal.”
No Concílio de Nicéia, mais uma vez vemos Roma adulterando as datas das Festas do Eterno Deus de Israel, para se distanciarem dos judeus, e coincidirem com os cultos aos deuses venerados pelo rei Constantino e sua turma.

2 – A “DEUSA” DA PRIMAVERA

A Babilônia “rainha dos céus,” Semíramis, esposa de Nimrod, é a precursora de uma série de “divindades” de diferentes culturas: Astarte e da Vênus dos gregos, Juno do latim, Ashtoreth dos Sidonianos, Ishtar dos Babilônios, e de Eostre, deusa da primavera, dos primitivos Anglo-Saxões. Os druidas possuíam festivais religiosos em sua honra e ao deus-sol em Abril, chamando de a “Easter Monath”. É desta expressão que vem a palavra “Pascoa”, que vergonhosamente foi colocada como tradução de “Pessach” em algumas traduções populares da Bíblia para o Inglês chama-se ‘Easter’ (como a King James, por exemplo).

A deusa Ishtar, ou Eostre, foi adorada como sendo a deusa do amor e da fertilidade, e como a vida da natureza. Na mitologia babilônica esta “rainha dos céus” foi adorada como a deusa do impulso sexual. Na Enciclopédia Hastings de Ética Religiosa, p. 117, nós lemos sobre essas “antigas páscoas”:

3 – ORIGEM DA “QUARESMA”

A chamada “quaresma” é uma prática de origem puramente babilônica. No inglês, esta época é chamada de “Lent Season”, e vem da palavra saxônica “Lenct”, significando “primavera. ” As religiões pagãs primitivas do México também comemoram quarenta dias em abril. A origem desta comemoração está nos quarenta dias no equinócio vernal em Abril, celebrados pelos adoradores do demônio do Curdistão, em honra ao deus-sol. Esta prática foi trazida da Babilônia em 2000 AC. Sua origem está no “lamento por” Tamuz. O deus-pagão Tamuz era supostamente a reencarnação do marido de Ishtar/Semíramis, chamado Nimrode. Na primavera, celebrava-se o renascimento dos mortos. Era um tempo de lamentação seguido por um dia de alegria. O Eterno Deus condenou Israel por tomar parte nessa celebração como vemos em Ezequiel. 8:13-14:  Ele me disse, ” Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem. ” Então trouxe-me à porta da casa do SENHOR que estava para o norte, e estavam ali mulheres sentadas chorando a Tamuz.

4 – COSTUMES MODERNOS DE PÁSCOA

Uma boa pergunta: que conexão tem colombas pascais, ovos, coelhos e roupas novas com a ressurreição de Yeshua HaMashiach/Jesus o Messias? Obviamente que a resposta é: Absolutamente nada! A origem moderna da “Colomba pascal”, um bolo feito em forma de cruz, é suficientemente explicada em Jer. 7:18; 44:17-19:

4.1 – OVOS DE CHOCOLATE

O costume de dar ovos em Abril provavelmente vem da teologia e dos costumes encontrados entre os egípcios, persas, gauleses, gregos e romanos, entre os quais o ovo era um símbolo do universo — o trabalho do ser supremo. Tingir os ovos pode ser proveniente dos Chineses. Os ovos eram o símbolo sacrificial dos druidas. Roma, mais uma vez fazendo adições à Palavra do Eterno, consagrou o ovo como sendo o símbolo da ressurreição do Messias.

Os antigos babilônios acreditavam que um ovo caiu do céu no rio de Eufrates e os peixes o rolaram à costa onde as pombas o fizeram chocar e de onde saiu “a rainha dos céus”, Ishtar. Desta forma, o ovo transformou-se num símbolo de Ishtar, deusa muito adorada pelos antigos, e é usado hoje por cristãos, enganados e iludidos  pensam que estão celebrando uma festa santa!

5 – O COELHO

A moda do coelho na Páscoa pode ter sua origem num paganismo antigo originário da região onde hoje fica a Alemanha. Às crianças eram dito que se fossem boas, um coelho branco colocaria dentro de suas casas enquanto elas estivessem dormindo, e em segredo, o maior número de lindos ovos coloridos, em cantos ímpares da casa. Assim, aparentemente teve inicio a inocente “caça aos ovos de Páscoa” das crianças. O coelho, para os antigos, era um símbolo da lua (a ligação entre o sol Venus ou Ishtar), ele que é um animal noturno. A lebre é o único coelho que nasce com seus olhos abertos. A palavra egípcia para lebre é “un”, que significa ” abrir “. Assim a lebre foi associada com a abertura de uma estação nova, a primavera, em Abril, no equinócio vernal. As lebres e os ovos eram também usados como simbolismo no Egito na abertura de seu ano novo, em que os ovos eram quebrados cerimonialmente.

Essa páscoa nada tem haver com a ordenada por Deus em Êxodo 11, 12 e 13.

A VERDADEIRA PÁSCOA

A páscoa que no original é pessach, (cujo significado é passagem) foi instituída da seguinte forma:

Segundo a Bíblia (Livro do Êxodo), Deus lançou 10 pragas sobre o Egito. Na última delas (Êxodo cap 12), disse Deus que todos os primogênitos egípcios seriam exterminados (com a passagem do anjo da morte por sobre suas casas), mas os de Israel seriam poupados. Para isso, o povo de Israel deveria imolar um cordeiro, passar o sangue do cordeiro imolado sobre as portas de suas casas, e Deus passaria por elas sem ferir seus primogênitos. Todos os demais primogênitos do Egito foram mortos, do filho do Faraó aos filhos dos prisioneiros. Isso causou intenso clamor dentre o povo egípcio, que culminou com a decisão do Faraó de libertar o povo de Israel, dando início ao Êxodo de Israel para a Terra Prometida.

Na sua instituição,a maneira de observar a pascoa era da seguinte forma: o mês da saida do Egito(nisã-abibe) devia ser o primeiro mês do ano sagrado ou eclesiástico; e no decimo-quarto dia desse mês,entre as tardes, isto é, entre a declinação do sol e o seu ocaso, deviam os israelitas matar o cordeiro pascal e abster-se de pão fermentado. No dia seguinte, o 15°, a contar desde as 6 hrs do dia anterior, principiava a grande festa da pascoa, que durava 7 dias; mas somente o 1° e o 7° dias eram particurlamente solenes. O cordeiro morto tinha que ser sem defeito, macho e do 1° ano. Quando não fosse encontrado o cordeiro, podiam os israelitas matar um cabrito.Naquela mesma noite devia ser comido o cordeiro, assado, com pão asmo, e uma salada de ervas armagas, não devendo, além disso, serem quebrados os ossos. Se alguma coisa ficava para o dia seguinte, era queimada. Os que comiam a páscoa precisavam estar na posição de viajantes, cingidos os lombos, tendo os pés calçados, com os cajados na mão, alimentando-se apressadamente. Durante os 8 dias da pascoa não se podia comer pão levedado, embora fosse permitido preparar a comida, sendo isto, contudo, proibido no sabado(Ex.12).

Todo esse ritual apontava para acontecimentos futuros, ou seja, para o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” como declarou João Batista (João 1.29).

Jesus, O Filho de Deus, veio em carne, anunciou as Boas Notícias (evangelho), mas, não foi recebido. Foi caluniado e condenado à morte de cruz. E isso não pela vontade do homem, mas, pelo projeto divino.

Ora o homem desde a queda esteve morto espiritualmente. E Deus que é amor (1 João 4.8) compadeceu-se da situação humana, se esvaziou de sua glória e fez-se homem para morrer em nosso lugar. Isaias profetizou cerca de 700 anos a.C. sobre o nascimento vida e morte do Salvador. E essas profecias cumpriram-se no ministério de Cristo.

Da mesma forma como o sangue do cordeiro livrou os primogênitos hebreus da morte, o Sangue de Jesus nos resgatou do poder da morte espiritual, esta causada pelo pecado. De sorte que não há mais necessidade de sacrifícios anuais, visto que o Perfeito Sacerdote sacrificou o Cordeiro Imaculado Perfeito fez assim um sacrifício perpétuo no qual podemos nos valer para sermos salvos.

Agora somos salvos pela graça e por meio da fé, e não pelas boas obras para que ninguém se glorie. (Efésios 2.8).

É um erro grave comemorar uma festa pagã e dizer que é páscoa. Comparar o Cordeiro de Deus com uma lebre usada em rituais de adivinhação é uma blasfêmia.

Em minha opinião, ou faz do jeito que é para ser, ou muda de nome. Fica até melhor. Essa é a festa da hipocrisia. Durante todo o ano faço tudo o que não presta, ofendo o meu próximo, tiro vantagem do mais fraco, piso em cima do meu semelhante em nome dos meus ideais e depois hipocritamente durante uma semana denominada santa, distribuo esmolas e finjo uma piedade que não existe. Pelo amor de Deus o Senhor Jesus não nos ensinou a amar assim. O amor de Deu sé maior que isso.

O Senhor Jesus não se entregou em vão naquela cruz, foi para mostrar a altura e a profundidade do seu amor. Mesmo sendo Deus não se orgulhou, mas, humilhou-se até a morte e morte de cruz (Filipenses 2.6-7).

E esse amor ainda vale até hoje. Você tem acesso a esse amor. Essa salvação é dada por graça e por fé. Basta você receber esse presente de Deus em sua vida.

Jesus nos ama. Ele é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. E a sua Palavra diz que quem ama a seu próximo, cumpriu toda a Lei e excedeu em muito os sacrifícios. (Romanos 13.8 e Marcos 12.33).

Que o Senhor Jesus ache em sua vida um aporta aberta para entrar e fazer morada.

Pesquisa: Vivos

Comentários
  1. Angélica diz:

    Kayo,sinto muito pelo seu modo de pensar.Quanto tentarem acabar com todas as datas comemorativas tipo páscoa,natal,semana santa,etc que vcs protestante sdizem ser “pagãs”vc verá que o ANTICRISTO verdadeiro agirá e começará a perseguição .O demõnio semeou a discórdia e divisão entre os cristãos para ter força e parece que é isto que ele está conseguindo…O anticristo será contra Cristo e tudo o que o lembre e abolirá as datas comemorativas referentes á Jesus Cristo.Ele será favor do aborto,do casamento entre pessoas do mesmo sexo,etc e isto a Igreja católica nunca apoiou.PENSE NISTO ANTES DE ACUSAR A IGREJA DE ‘PAGANISMO’

    • kayobbcosta diz:

      Cara Angélica, não sinta pelo meu modo de pensar, mas, sinta pela falta de interesse das pessoas naquilo que se diz respeito à Deus. Duvido que você comente sites que falem diretamente contra Deus. Como estou criticando um costume baseado no consumismo, pessoas como você se manifestam. Se você conhecesse um pouco a Bíblia e a História saberia que não somos nós os protestantes (que fomos mortos aos milhares pela sua igreja por defender nosso ideal cristão) que declaramos pagãos esses tipos de festividades. Já experimentou digitar no google imagens páscoa ou natal? De quem é que aparecem imagens? De Jesus? Não, mas de coelhos e papai noel. Estou mentindo? E a respeito da escatologia (doutrina dos últimos acontecimentos) engana-se ao pensar que o Anti-Cristo irá se manifestar com chifre e rabinho. Quer um conselho? (sei que não) Estude um pouco antes de querer disparar sua metralhadora de acusações infundadas. E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ. Jo 8.32

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s