Arquivo de Abril, 2010

Adiando a Salvação

Posted: 28/04/2010 in Devocional

Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação?

Portanto, como diz o Espírito Santo, se ouvir­des hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração. (Hebreus 2:3; 3:7-8).

O “potentíssimo Félix” (Atos 24:3), o go­vernador em questão no livro de Atos, capítulos 23 e 24, sem dúvida era um homem que possuía grandes qualidades. Por causa de sua influência, a terra experimentou a paz e Tértulo, o orador, o elogiou por sua sábia administração. Ele se mostrou tolerante e generoso em relação ao apóstolo Paulo. Félix o escutou benevolentemente e lhe concedeu certo grau de liberdade, além do direito de ser visitado por seus conhecidos. Mas, quando o apóstolo o confrontou com a verdade eterna, Félix respondeu: “Por agora, vai-te, e, em tendo oportunidade, te chamarei” (24:25). Félix não foi hostil nem zombador. Ele demonstrou interesse no prisioneiro que o impressionou. No entanto, não arranjou tempo para ouvir a mensagem de Paulo. Mas também não quis dispensar o apóstolo definitivamente, apenas disse: “Por agora, vai-te!.”

“Em tendo oportunidade, te chamarei”.

Será que essa oportunidade chegou algum dia? Félix procurou o favor do povo; além disso, era suscetível ao suborno. Após dois anos, quando foi substituído, ele deixou Paulo preso para agradar os judeus. Ele sufocou a voz de sua consciência e deliberadamente ignorou o momento propício que lhe fora concedido, o “dia da salvação” (2 Corintios 6:2).

Anúncios

Uma analfabeta da vida

Posted: 22/04/2010 in Pois é...

Estava procurando umas coisas legais na net e me deparei com esta notícia de uma atriz global famosa afirmando que Jesus não é o Filho de Deus. Não por isso, mas, pelo fato de ela ter representado sua mãe no “mega evento” da Paixão de Cristo. Querendo inovar, demonstrou apenas ser, como o título sugere, uma “analfabeta da vida”.

Veja a matéria completa no Gospel Mais!

Nada a declarar…

João viu a Jesus, que vinha para ele, e dis­se: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o peca­do do mundo. (João 1 :29)

Depois, virá o fim, quando tiver entregado o Reino a Deus, ao Pai, e quando houver ani­quilado todo império e toda potestade e for­ça ... para que Deus seja tudo em todos (1 Coríntios 15:24,28).

TIRAR O PECADO DO MUNDO

Ao final dos seis dias mencionados em Gênesis 1, Deus constatou que tudo o que fizera “era muito bom” (v. 31). Porém logo Adão e Eva, seduzidos pela serpente, desobedeceram; o pecado foi introduzido no mundo e, como uma indelével mancha, denegriu a glória de Deus.

Deus poderia ficar tranqüilo e admitir que Seu plano de amor não se cumprisse como havia previsto? Certamente não!

Por isso Seu Filho Se fez homem. Foi o Cordeiro de Deus, a Vítima cujo sacrifício tiraria essa mancha do pecado que se tornara gigantesca. João Batista, o maior dos profetas, O apresentou sob essa perspectiva e anunciou as infinitas conseqüências da obra cumprida por Jesus Cristo na cruz.

O apóstolo Paulo recebeu revelações acerca do fim da história da humanidade: quando o Senhor tiver anulado todo o sistema do mal e o próprio pecado, o último inimigo, a morte, conseqüência do pecado, também será abolida.

Que eterno motivo de adoração! Jesus Cristo é o Alfa e o Ômega, aquele por quem Deus “fez o mundo” (Hebreus 1:2), e que entregará a Deus, graças a Seu sacrifício na cruz, uma criação inteiramente livrada do pecado que a corrompia.

Desmascarando o Coelho

Posted: 01/04/2010 in Opinião, Pois é...

UM POUCO SOBRE A FALSA PÁSCOA

1 – ORIGEM DA PÁSCOA ATUAL

Sabemos que atualmente a “Páscoa” sofre alterações a cada ano. “A presente variação de tempo foi estabelecida pelo Romanismo primitivo misturado com um festival pagão muito antigo da primavera para a deusa da primavera. Esta data foi fixada no domingo imediatamente após o 14º dia da lua pascal que aconteceu sobre ou primeiramente após o equinócio vernal.”
No Concílio de Nicéia, mais uma vez vemos Roma adulterando as datas das Festas do Eterno Deus de Israel, para se distanciarem dos judeus, e coincidirem com os cultos aos deuses venerados pelo rei Constantino e sua turma.

2 – A “DEUSA” DA PRIMAVERA

A Babilônia “rainha dos céus,” Semíramis, esposa de Nimrod, é a precursora de uma série de “divindades” de diferentes culturas: Astarte e da Vênus dos gregos, Juno do latim, Ashtoreth dos Sidonianos, Ishtar dos Babilônios, e de Eostre, deusa da primavera, dos primitivos Anglo-Saxões. Os druidas possuíam festivais religiosos em sua honra e ao deus-sol em Abril, chamando de a “Easter Monath”. É desta expressão que vem a palavra “Pascoa”, que vergonhosamente foi colocada como tradução de “Pessach” em algumas traduções populares da Bíblia para o Inglês chama-se ‘Easter’ (como a King James, por exemplo).

A deusa Ishtar, ou Eostre, foi adorada como sendo a deusa do amor e da fertilidade, e como a vida da natureza. Na mitologia babilônica esta “rainha dos céus” foi adorada como a deusa do impulso sexual. Na Enciclopédia Hastings de Ética Religiosa, p. 117, nós lemos sobre essas “antigas páscoas”:

3 – ORIGEM DA “QUARESMA”

A chamada “quaresma” é uma prática de origem puramente babilônica. No inglês, esta época é chamada de “Lent Season”, e vem da palavra saxônica “Lenct”, significando “primavera. ” As religiões pagãs primitivas do México também comemoram quarenta dias em abril. A origem desta comemoração está nos quarenta dias no equinócio vernal em Abril, celebrados pelos adoradores do demônio do Curdistão, em honra ao deus-sol. Esta prática foi trazida da Babilônia em 2000 AC. Sua origem está no “lamento por” Tamuz. O deus-pagão Tamuz era supostamente a reencarnação do marido de Ishtar/Semíramis, chamado Nimrode. Na primavera, celebrava-se o renascimento dos mortos. Era um tempo de lamentação seguido por um dia de alegria. O Eterno Deus condenou Israel por tomar parte nessa celebração como vemos em Ezequiel. 8:13-14:  Ele me disse, ” Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem. ” Então trouxe-me à porta da casa do SENHOR que estava para o norte, e estavam ali mulheres sentadas chorando a Tamuz.

4 – COSTUMES MODERNOS DE PÁSCOA

Uma boa pergunta: que conexão tem colombas pascais, ovos, coelhos e roupas novas com a ressurreição de Yeshua HaMashiach/Jesus o Messias? Obviamente que a resposta é: Absolutamente nada! A origem moderna da “Colomba pascal”, um bolo feito em forma de cruz, é suficientemente explicada em Jer. 7:18; 44:17-19:

4.1 – OVOS DE CHOCOLATE

O costume de dar ovos em Abril provavelmente vem da teologia e dos costumes encontrados entre os egípcios, persas, gauleses, gregos e romanos, entre os quais o ovo era um símbolo do universo — o trabalho do ser supremo. Tingir os ovos pode ser proveniente dos Chineses. Os ovos eram o símbolo sacrificial dos druidas. Roma, mais uma vez fazendo adições à Palavra do Eterno, consagrou o ovo como sendo o símbolo da ressurreição do Messias.

Os antigos babilônios acreditavam que um ovo caiu do céu no rio de Eufrates e os peixes o rolaram à costa onde as pombas o fizeram chocar e de onde saiu “a rainha dos céus”, Ishtar. Desta forma, o ovo transformou-se num símbolo de Ishtar, deusa muito adorada pelos antigos, e é usado hoje por cristãos, enganados e iludidos  pensam que estão celebrando uma festa santa!

5 – O COELHO

A moda do coelho na Páscoa pode ter sua origem num paganismo antigo originário da região onde hoje fica a Alemanha. Às crianças eram dito que se fossem boas, um coelho branco colocaria dentro de suas casas enquanto elas estivessem dormindo, e em segredo, o maior número de lindos ovos coloridos, em cantos ímpares da casa. Assim, aparentemente teve inicio a inocente “caça aos ovos de Páscoa” das crianças. O coelho, para os antigos, era um símbolo da lua (a ligação entre o sol Venus ou Ishtar), ele que é um animal noturno. A lebre é o único coelho que nasce com seus olhos abertos. A palavra egípcia para lebre é “un”, que significa ” abrir “. Assim a lebre foi associada com a abertura de uma estação nova, a primavera, em Abril, no equinócio vernal. As lebres e os ovos eram também usados como simbolismo no Egito na abertura de seu ano novo, em que os ovos eram quebrados cerimonialmente.

Essa páscoa nada tem haver com a ordenada por Deus em Êxodo 11, 12 e 13.

A VERDADEIRA PÁSCOA

A páscoa que no original é pessach, (cujo significado é passagem) foi instituída da seguinte forma:

Segundo a Bíblia (Livro do Êxodo), Deus lançou 10 pragas sobre o Egito. Na última delas (Êxodo cap 12), disse Deus que todos os primogênitos egípcios seriam exterminados (com a passagem do anjo da morte por sobre suas casas), mas os de Israel seriam poupados. Para isso, o povo de Israel deveria imolar um cordeiro, passar o sangue do cordeiro imolado sobre as portas de suas casas, e Deus passaria por elas sem ferir seus primogênitos. Todos os demais primogênitos do Egito foram mortos, do filho do Faraó aos filhos dos prisioneiros. Isso causou intenso clamor dentre o povo egípcio, que culminou com a decisão do Faraó de libertar o povo de Israel, dando início ao Êxodo de Israel para a Terra Prometida.

Na sua instituição,a maneira de observar a pascoa era da seguinte forma: o mês da saida do Egito(nisã-abibe) devia ser o primeiro mês do ano sagrado ou eclesiástico; e no decimo-quarto dia desse mês,entre as tardes, isto é, entre a declinação do sol e o seu ocaso, deviam os israelitas matar o cordeiro pascal e abster-se de pão fermentado. No dia seguinte, o 15°, a contar desde as 6 hrs do dia anterior, principiava a grande festa da pascoa, que durava 7 dias; mas somente o 1° e o 7° dias eram particurlamente solenes. O cordeiro morto tinha que ser sem defeito, macho e do 1° ano. Quando não fosse encontrado o cordeiro, podiam os israelitas matar um cabrito.Naquela mesma noite devia ser comido o cordeiro, assado, com pão asmo, e uma salada de ervas armagas, não devendo, além disso, serem quebrados os ossos. Se alguma coisa ficava para o dia seguinte, era queimada. Os que comiam a páscoa precisavam estar na posição de viajantes, cingidos os lombos, tendo os pés calçados, com os cajados na mão, alimentando-se apressadamente. Durante os 8 dias da pascoa não se podia comer pão levedado, embora fosse permitido preparar a comida, sendo isto, contudo, proibido no sabado(Ex.12).

Todo esse ritual apontava para acontecimentos futuros, ou seja, para o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” como declarou João Batista (João 1.29).

Jesus, O Filho de Deus, veio em carne, anunciou as Boas Notícias (evangelho), mas, não foi recebido. Foi caluniado e condenado à morte de cruz. E isso não pela vontade do homem, mas, pelo projeto divino.

Ora o homem desde a queda esteve morto espiritualmente. E Deus que é amor (1 João 4.8) compadeceu-se da situação humana, se esvaziou de sua glória e fez-se homem para morrer em nosso lugar. Isaias profetizou cerca de 700 anos a.C. sobre o nascimento vida e morte do Salvador. E essas profecias cumpriram-se no ministério de Cristo.

Da mesma forma como o sangue do cordeiro livrou os primogênitos hebreus da morte, o Sangue de Jesus nos resgatou do poder da morte espiritual, esta causada pelo pecado. De sorte que não há mais necessidade de sacrifícios anuais, visto que o Perfeito Sacerdote sacrificou o Cordeiro Imaculado Perfeito fez assim um sacrifício perpétuo no qual podemos nos valer para sermos salvos.

Agora somos salvos pela graça e por meio da fé, e não pelas boas obras para que ninguém se glorie. (Efésios 2.8).

É um erro grave comemorar uma festa pagã e dizer que é páscoa. Comparar o Cordeiro de Deus com uma lebre usada em rituais de adivinhação é uma blasfêmia.

Em minha opinião, ou faz do jeito que é para ser, ou muda de nome. Fica até melhor. Essa é a festa da hipocrisia. Durante todo o ano faço tudo o que não presta, ofendo o meu próximo, tiro vantagem do mais fraco, piso em cima do meu semelhante em nome dos meus ideais e depois hipocritamente durante uma semana denominada santa, distribuo esmolas e finjo uma piedade que não existe. Pelo amor de Deus o Senhor Jesus não nos ensinou a amar assim. O amor de Deu sé maior que isso.

O Senhor Jesus não se entregou em vão naquela cruz, foi para mostrar a altura e a profundidade do seu amor. Mesmo sendo Deus não se orgulhou, mas, humilhou-se até a morte e morte de cruz (Filipenses 2.6-7).

E esse amor ainda vale até hoje. Você tem acesso a esse amor. Essa salvação é dada por graça e por fé. Basta você receber esse presente de Deus em sua vida.

Jesus nos ama. Ele é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. E a sua Palavra diz que quem ama a seu próximo, cumpriu toda a Lei e excedeu em muito os sacrifícios. (Romanos 13.8 e Marcos 12.33).

Que o Senhor Jesus ache em sua vida um aporta aberta para entrar e fazer morada.

Pesquisa: Vivos